Cultura

Wagyu (Kobe) - A vaca Japonesa

07:21:00

O Wagyu remota aos anos de 1800s, quando vários tipos de bovinos foram introduzidos no Japão, originando em cruzamentos com espécies japonesas, dando origem à Wagyu.
Origem da palavra Wagyu - Wagyu, traduzido na integra quer dizer “Vaca Japonesa”. 
“Wa-” significa Japonês ou estilo Japonês “-gyu” significa vaca ou gado). Daí “Wagyu” refere-se a todo o gado que é criado no Japão ou com o estilo Japonês.



O gado Wagyu é criado com imensos cuidados e regras restritas, para se conseguir a carne de qualidade que conhecemos nos dias de hoje. Alimentação especializada, tais como palha de arroz, grãos de soja, milho e cevada de qualidade superior. Por vezes cerveja e sake. Assim como tratamentos especiais como massagens de relaxamento, para tornar a carne mais tenra. 

A verdade sobre o bife Kobe!

Todo o bife Kobe é Wagyu, mas nem todo o Wagyu é Kobe.
Kobe é uma variedade de Wagyu.
A carne de Kobe é composta por uma variedade muito particular de Wagyu chamada Tajima-Gyu que é elevada a padrões rigorosos na província de Hyogo (A cidade capital de Hyogo é Kobe, daí o nome).


Na verdade apenas uma porção da carne Wagyu do Japão vem de Kobe e não é de longe a melhor qualidade de carne deste tipo de vaca. O Wagyu de MiYazaki, localizada na ilha de KYUSHU é reconhecida como a melhor qualidade de Wagyu produzida no Japão.



Especies de Wagyu 
No Japão destinguem-se, maioritariamente, 4 espécies de Wagyu :

Japanese Black (a espécie predominante, importada na sua maioria para EUA);
Japanese Brown (Conhecida nos EUA por Red Wagyu);
 Japanese Polled;
Japanese Shorthorn.
Como definir a qualidade do Wagyu?

O Japão, a principal referência deste tipo de carne, qualifica o bife em 4 características:

(1) Marmoreado
(2) cor e brilho da carne
(3) textura e firmeza da carne
(4) cor, brilho e qualidade da gordura

Marmoreado são pequenas manchas ou linhas que a carne apresenta ao longo desta.
A sua classificação varia de país para país, sendo o Japão, USA e Australia as grandes referências a nível Mundial.

Japão

Japanese Wagyu Kobe Marbling Grade Chart
No Japão a escala BMS (Beef Marbling Standard - Padrão de marmoreio de carne) vai de 3 a 12, onde 3 é o básico, mínimo de marmoreado que um bife deve ter e 12 em que o bife é praticamente branco, graças ao marmoreado.

Australia, é um dos maiores produtores de bife de wagyu e possui a sua própria escala. Esta vai de 3 a 9 cuja pontuação BMS é idêntica à japonesa, mas não tão minuciosa, possuindo menos graus de marmoreado.
USDA Meat Grades
Na América as categorias são divididas em apenas 3 níveis: Selecção, escolha e Ideal.


Eventos

Wine in Azores - 2018

13:27:00

O maior evento vínico das Ilhas portuguesas, comemora o 10º Aniversário e vai celebrar o vinho ao mais alto nível.
Vão ser três dias de copo na mão!


Wine in Azores é o maior evento empresarial e o foco de todas as atenções em São Miguel no mês de outubro, um trabalho contínuo, que este ano celebra 10º Aniversário com uma edição muito especial. O evento vínico realiza-se nos dias 19, 20 e 21, no Pavilhão de Exposições da Associação Agrícola de São Miguel, na Ribeira Grande.

Com mais de 2.000 vinhos em prova, 15 chef’s de cozinha reconhecidos.
Joe Best, Rui Martins, Rui Paula, António Loureiro, Renato Cunha, Paulo Mota e Francisco Gomes...
Mais de 2.000 vinhos em prova e contar com a 2ª edição do Wine in Azores Design Awards. A Gorgeous Azores, empresa organizadora, está de parabéns e assume através de Joaquim Coutinho Costa.



O evento vínico vai novamente integrar um concurso de design de rótulos de vinhos. O Wine in Azores Design Awards 2018 vai premiar os vinhos que mais surpreendam pela imagem global. Todos os vinhos, presentes no evento serão considerados em concurso e avaliados pelo júri, que nesta segunda edição é constituído por Leonor Almeida, Marco Valente, Maria Helena Duarte, Pedro Canto Brum e Victor Almeida.



www.wineinazores.com

Eventos

Mercado de Vinhos 2018- Campo Pequeno

18:04:00

O Mercado de Vinhos regressa ao Campo Pequeno entre 19 e 21 de Outubro, na sua 7ª edição para dar palco aos pequenos e médios produtores de vinhos nacionais.



Três dias, 160 expositores, 1 região em destaque, 1 concurso nacional de vinhos, 1 exposição de Castas Portuguesas

O Mercado de Vinhos vai receber novamente o Concurso de Vinhos do Crédito Agrícola. Este concurso centra-se na captação de Produtores e Cooperativas de todas as regiões vitivinícolas do país e oferece aos expositores do Mercado de Vinhos condições especiais de participação na iniciativa.
Para além de poderem provar e comprar os vinhos, espumantes e especialidades gastronómicas representadas no certame, os visitantes contam ainda com uma novidade: “Conversas e um copo de Vinho” - um programa de acesso gratuito que decorre ao longo dos 3 dias do evento no auditório localizado no centro da arena. Enólogos, produtores e técnicos vão falar do seu trabalho, do seu dia-a-dia, da sua paixão pelo mundo do vinho.

Paralelamente, os visitantes podem conhecer a exposição itinerante "Da Vinha ao Vinho - as Castas Portuguesas". Visando a valorização do património vitivinícola nacional e o seu elevado potencial de qualidade, a mostra conta com um conjunto de painéis com informação relativa ao tema e com vários elementos com os quais o público pode interagir, desafiando-o a identificar os aromas característicos das diversas castas existentes e utilizadas na produção dos vinhos.


E para os wine lovers que pretendem um programa mais personalizado, a Wine Educator Teresa Gomes fará visitas guiadas por um conjunto de produtores e dará a conhecer as especificidades dos produtos em exposição, explicando como provar vinhos, quais são as Denominações de Origem portuguesas e seus nomes, como se faz vinho ou simplesmente esclarecer as questões e dúvidas sobre a temática vínica.

O Mercado de Vinhos é uma organização conjunta do Campo Pequeno e da House OF Wines e funciona entre as 15:00h e as 21:00h no dia 19 de Outubro, entre as 12:00h e as 21:00h no dia 20 de Outubro, e entre as 12:00h e as 20:00h no dia 21 de Outubro, os bilhetes estarão à venda nos locais habituais, tais como no próprio recinto.


Vinhos

Casa José Maria da Fonseca bate records de visitas em 2017

11:30:00

Com uma das fachadas mais belas e perfeitamente restaurada na pacata Vila Nogueira de Azeitão, a Casa Museu José Maria da Fonseca só em 2017 teve visitantes de mais de 80 países diferentes. Ainda assim, parece que Portugal também está a dar mais valor e reconhecimento aos próprios vinhos, representando 28% das visitas.



Para Sofia Soares Franco, Responsável de Enoturismo e Comunicação da José Maria da Fonseca ‘Estes números confirmam que a aposta e o investimento contínuo na oferta enoturistica da José Maria da Fonseca são o caminho. O enoturismo é simultaneamente uma ferramenta fortíssima de marketing e uma área de negócio que tem um produto forte e dinâmico.’



Na Casa Museu de José Maria da Fonseca é possível visitar as adegas: a Adega da Mata, onde estagia o vinho Periquita, a Adega dos Teares Novos, onde decorre a Confraria do Periquita, e a Adega dos Teares Velhos, onde repousam os moscatéis mais antigos da casa. No final da visita, é oferecida uma prova de vinhos, ou vinhos e gastronomia.

Reservas: enoturismo@jmfonseca.pt 
 (+351) 212 198 940.

Pão nosso

Isco - Pão com espírito em Alvalade

13:39:00

Paulo Sebastião é um padeiro que em tempos foi engenheiro!
Os computadores não o aqueciam, nem os teclados lhe satisfaziam. Na Suécia começou a fazer horas extra numa padaria, aprendeu bastante e descobriu a sua grande devoção. 




Meteu as mãos na massa e começou a amassar o Mundo da farinha, água e sal. (Não, não me esqueci do fermento, para o Paulo este é feito de farinha e água e tempo, vigiado dia-a-dia e ao qual este gosta de chamar ISCO - A maioria chama massa-mãe).
Nos últimos dois anos, partilhou algum do seu conhecimento com os novos cozinheiros deste país dando aulas na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, continuo a aumentar o seu conhecimento e a partilhar algum, escrevendo crónicas para a Inter Magazine (Revista dos chefs).
E aí que surge a Isco, uma padaria de pão artesanal, feito de raiz, com seleção do melhor cereal e amassado por um dos melhores padeiros em Portugal.
Esta revolução de padaria em Portugal, veio para ficar! 
Para além dos pães de origem sueca e francesa (Sim, porque as baguettes não poderiam faltar, vê-se pela tatuagem do Paulo), há também alguns dos melhores bolos/snacks de Lisboa. 


 

Eu provei um "ninho invertido" (nome dado por mim, porque até à data o bolo não tinha nome) de cardamom, acabado de sair do forno, que neste inverno irá fazer as delicias de muita gente.
Mas não fica por aqui, o chá é também ele fantástico (Companhia Portugueza do chá), o café artesanal, os almoços para take and go, ultrapassam as expectativas e os jantares... Esses ainda estarão para vir.
Se ainda não estão convencidos, visitem o Blog : Zine de Pão onde o Chef escreve, desabafa e ensina a respeitar este alimento fantástico que todos adoramos e que já tem mais de 1000 anos.
Foto: https://nit.pt



Isco Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Eventos

Cerveja em Lisboa - Campo Pequeno

07:05:00

A Cerveja em Lisboa vai ter a sua segunda edição no Campo Pequeno, de 4 a 7 de Outubro de 2018.


Com um conceito ao estilo do Oktoberfest alemão, o evento apresentará mais de 60 ‘desculpas’ para visitar o Campo Pequeno, já que 60 é o total de marcas de cerveja nacionais (40) e internacionais (20) participantes, este ano com especial destaque para as cervejas artesanais - um número que configura um aumento substancial de marcas presentes em relação à edição de estreia d’A Cerveja em Lisboa.
Para acompanhar as inúmeras cervejas, o leque de opções de Street Food inclui as marcas Hamburguesia, Maria Wurst, Bifanas no Tacho, Burrito Burratcho, Termoçaria, Pretzel e Frutos Secos.
Num ambiente de festa, o espaço vai contar com animação permanente que incluirá um palco central e performances itinerantes, com música alusiva às Oompah Band, DJ e outras animações surpresa. Se recear não conseguir provar tudo o que pretende, o visitante tem sempre a oportunidade de voltar, uma vez que A Cerveja em Lisboa dura 4 dias.

Os bilhetes estarão disponíveis nos locais habituais.